jusbrasil.com.br
28 de Maio de 2020

13 Dicas para o estudante de direito moderno [2020]

Um guia de melhores práticas para a graduação em direito nos tempos atuais.

Natália Oliveira, Advogado
Publicado por Natália Oliveira
há 4 meses

Existem artigos e vídeos muito bons na internet com dicas para estudantes de direito, mas confesso que senti falta de um pouco de modernidade, de atualidade, por isso resolvi escrever esse texto.

Com certeza não coloquei todas as dicas possíveis, mas sei que têm vários advogados e advogadas lendo esse artigo com muito a compartilhar. Deixa nos comentários para quem está começando, sei que será de grande ajuda para muitos.

Escolhendo o curso de direito no vestibular

Passada a correria e o sufoco do ENEM, você escolheu direito no SISU. Talvez tenha usado seu ENEM para entrar diretamente numa universidade, ou já tenha um diploma e o utilizou para matrícula especial. Ou ainda: utilizou seu ENEM em alguma plataforma que oferece bolsas, como Educa Mais Brasil, Quero Bolsa e Amigo Edu. Mas por que você escolheu direito? Por quais motivos? Até posso imaginar alguns:

  • Pressão familiar

  • Expectativa de melhorar de vida

  • Paixão desde criança

  • Seguiu o conselho de alguém

  • Caiu de paraquedas

A essa altura acredito que não importa muito. Tem gente que entra por pressão familiar e acaba se encontrando na área, e tem gente que, como eu, entrou por paixão e mudou de ideia. Não sou coach, mas acredito que, independente do seu caso, não tenha medo de tomar uma decisão.

Um ponto interessante a considerar antes de tomar a decisão é que atualmente existe uma gama de cursos superiores (bacharelado, licenciatura e principalmente tecnólogo) que muita gente nem sabe que existe. Imagino que nas escolas hoje em dia ainda impere o “medicina, direito, engenharia”, mas me parece que isso irá se diluir em algum momento.

Agora, um aviso que vale para qualquer curso superior atualmente: faculdade não garante emprego! Antigamente o ensino superior era pouco acessível, e era mais difícil ver alguém com diploma desempregado. Mas as coisas mudaram e agora mais pessoas têm acesso ao ensino superior, o que não significa que as vagas de trabalho cresceram na mesma proporção.

Ah, lembre-se de checar no site do MEC se o curso de direito que você escolheu é autorizado e reconhecido.

Agora vamos as dicas:

1-Não espere pela faculdade

Existem faculdades muito boas que podem mudar sua vida, mas também existem faculdades ruins que estão interessadas apenas em lhe vender um diploma. Não espere por nenhuma das duas para nada. Estude para você e pense além.

2-Pesquise opções de carreira previamente

Mesmo que esteja no início do curso, pesquise suas opções, caso ainda não tenha pensado. Empreendedorismo jurídico, advocacia, concurso público, consultoria, pesquisa e docência, advogar para startups, se vai fazer pós, mestrado, etc, dê uma boa olhada em tudo que está disponível.

3-Não faça igual

Lembre-se: existem mais de 1 milhão de advogados no Brasil, e temos mais faculdades de direito do que o mundo inteiro somado. Encontre algo seu, destaque isso de alguma forma, pense nisso desde a faculdade.

4-Estude um pouco, mas estude sempre

Pode parecer uma dica boba, mas a gente não aprende a aprender em nenhum momento na escola. Não sabemos técnicas de repetição espaçada, como focar usando pomodoro, como anotar melhor com a técnica Feynman, não sabemos fazer mapas mentais, etc, e existem inúmeros softwares na internet para nos ajudar com isso.

Use a abuse de recursos diferentes, como áudio e vídeo, e pode colocar na velocidade 1.5x no YouTube sem medo. O interessante é que você pesquise para entender qual a melhor forma de você estudar. Ah, e torne o ler e escrever um hábito; não se contente com leituras rasas, busque a fundo as fontes.

5-Não demore para procurar um estágio

Assistir aula, fazer trabalho em grupo… Nada disso é trabalhar na área jurídica. Não é ser juiz, nem advogado, nem procurador. Teoria é fundamental, mas é a prática que vai te mostrar o que aquela profissão faz, e enquanto não conseguir arranjar um estágio você pode assistir audiências, ler e fazer petições e atividades afins. Não espere ficar perdido, querendo entender na prática como a profissão funciona.

6-Mantenha uma presença virtual desde cedo

Essa aqui derruba muita gente que ainda não se atualizou. Acredito que em breve não haverá mais espaço para quem não mantém uma mínima presença virtual.

Você consegue imaginar sua vida sem procurar alguma coisa na internet? Pois é, e as pessoas procuram informação jurídica na internet também, seja ela voltada para leigos ou juristas. Aconselho que você pesquise sobre marketing de conteúdo jurídico, como colocar um escritório no Google Maps e afins, sempre se guiando pela ética da profissão. Acredito que seja importante até mesmo para quem não vai seguir na advocacia.

Exemplos de presença digital inteligente em algumas plataformas, para você se inspirar:

Será cada vez mais difícil seguir na carreira sem ter um bom domínio sobre o digital, e sem estar inserido nele.

7-Seja exigente com seu português

Com frequência vejo juristas cometendo erros crassos de português. Veja, não se trata de “falar difícil”, estou falando de escrever e falar corretamente, que é essencial. Se você teve uma educação básica deficiente, corra atrás, você consegue, e peça ajuda se precisar.

8-Acompanhe palestras, grupos de estudo e pesquisa, eventos estudantis e afins

Fazer atividades extras é importante tanto pelas horas complementares como pela experiência de conhecer pessoas novas, ficar a par de novidades no direito, treinar pesquisa acadêmica e talvez até te ajudar a decidir se quer fazer um mestrado ou doutorado. Invista em vivências.

9-Não fique fechado no mundo jurídico

As pessoas mais incríveis que já conheci são multidisciplinares. Na graduação de direito encontrei músicos, roteiristas, desenhistas e por aí vai. No trabalho, igualmente, e vi direito se misturar com computação, design, gerência, etc.

Não estou dizendo para você estudar tudo, estou dizendo que às vezes grandes oportunidade surgem nas intersecções.

10-Tenha uma relação minimamente cordial com seus colegas

Óbvio que nem sempre dá para fazer isso, mas lembre-se que aquelas pessoas serão seus colegas de profissão futuramente, e alguns podem até se tornar seus sócios. É o famoso networking: conhecer pessoas e manter contato com elas é algo muito importante para a vida profissional.

11-Acompanhe as inovações jurídicas tecnológicas

AB2L (Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs), ABJ (Associação Brasileira de Jurimetria), automação de documentos jurídicos, Lei Geral de Proteção de Dados...

Então, existem muitas inovações digitais acontecendo capazes de transformar completamente tudo que conhecemos sobre direito, e acredito ser de suma importância acompanhá-las. Automação de tarefas, por exemplo, já é uma coisa real no meio jurídico brasileiro. Em breve qualquer trabalho de “ctrl c ctrl v” não será mais executado por uma pessoa.

O diferencial será a criatividade, a empatia, comunicação, os soft skills.

12-Trabalhe sua desinibição

Essa dica é mais para pessoas como eu, que não são tão boas nisso. Acho que a melhor frase para essa dica é “Tá com medo? Vai com medo mesmo”.

Quando a gente é tímido (a) a vontade é de evitar as situações de exposição, mas justamente por ter medo é que você deve se expor ao máximo em situações assim, até aquilo se tornar comum. Pode tremer, suar, virar o estômago, mas vai passar e depois o que fica é a experiência.

13-Fique de olho no empreendedorismo jurídico

Acredito que vale a pena assistir esse vídeo do advogado Evinis Talon sobre o assunto, para abrir a cabeça para possibilidades de carreira:

Por fim, cabe mais uma dica: se sentir que não fez a melhor escolha de curso e você tem o privilégio de mudar, mude o quanto antes. Você não está ganhando um voucher de emprego ao entrar na faculdade, está investindo sua energia, seu suor, seu cérebro e seu tempo de vida em algo, então faça valer a pena.

Bons estudos!


Se quiser falar comigo é só me mandar uma mensagem aqui no Jusbrasil, ou então pelo email: [email protected]


Photo by NESA by Makers on Unsplash

Photo by Wil Stewart on Unsplash

15 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Natália arrasando como sempre! Nunca vou me cansar de elogiar seus artigos.

Estágios, totalmente importante! Eu fiz seis kkk todos me ajudaram. continuar lendo

Obrigada, Alice!
Essa é uma das coisas que mais vejo as pessoas reclamarem, de que a faculdade não ensina o ofício na prática, e aí ficam perdidos depois que terminam o curso. continuar lendo

Natália... vc é uma deusa do auxilio jurídico.
Simplesmente fantástico. continuar lendo

Obrigada, Gabriel! continuar lendo

Texto top demais!
Abraço Nat! continuar lendo

Maravilha! É exatamente assim que tem que ser. Ainda sou estudante e já faço isso e posso dizer que os resultados são significativos. continuar lendo